<
Ela ficou

Pedro Mexia

38
<
>

Eu não esperava que Kim
Novak cobrisse com o seu
casaco ou cobertor não sei
ao certo o corpo de Frank

Sinatra tremendo, como se fora
seu filho, toda a desfaçatez
dele desfeita num grande frio,
convulsões, as veias ávidas.

Preminger não era romântico
nenhum, queria
a novidade da crueza mais
do que a reiteração da piedade.

Pietà, a Novak? Nem
Hitchcock se lembraria,
como a ninguém ocorre
pôr um homem tão

como Frank no chão como
as crianças, ela não sabia
que noite ou furacão,
os braços e pernas inúteis,

à martelada, mas pouco importa,
era o homem dela, lançou-lhe
roupas para cima, aninhou-se
com ele por terra,

que tens tu?, já passou,
estou aqui, nenhuma força
mesmo as que não conheço,
é maior do que a minha se

a quiseres, ou se não ma
pedes, o que te faz mal
eu faço bem, estava assim Kim
Novak por cima dele

e eu à espera que fosse
embora, “ela agora
vai embora”, mas ela ficou.

 
 
Relâmpago n.º 38
<
>